quinta-feira, 10 de abril de 2008

Fórum Europeu de Professores Inovadores da Microsoft


Participar na 5ª Conferência Europeia Professores Inovadores 2008 (Inovative Teachers Fórum) nos dias 6, 7 e 8 de Março, em Zagreb, foi uma experiência muito gratificante na minha vida profissional.

Conheci professores de vários países, participei em workshops, assisti a demonstrações de novo software da Microsoft, devo confessar que os mapas da Microsoft me surpreenderam, podem ainda ser aliados a algum software para criação de álbuns e fiquei curiosa para explorar o MS Popfly.

A meu ver a partilha de experiências é sempre muito enriquecedora, neste caso ao nível dos países da Europa. Sou adepta da Metodologia de Trabalho de Projecto, é assim que gosto de ensinar as TIC (Tecnologias da Informação e da Comunicação) “the Students learn ICT without we teach ICT”. A ideia é desenvolver competências nas TIC através da implementação de projectos reais, que promovam a intervenção e a interacção dos alunos. Por isso, aproveitei para tirar notas, recolher elementos, observar boas experiências. Havia experiências um pouco para todos os gostos, pois, os projectos expostos abarcavam desde o 1º ciclo do Ensino Básico até ao Ensino Secundário.

Desde ideias simples à primeira vista, a projectos mais complexos e trabalhosos, o que importava era perceber como conseguiram envolver e motivar os alunos e daí resultaram grandes experiências, quer para os alunos, quer para os professores que os implementaram.
Senti que ao nível da integração das TIC no processo de ensino e aprendizagem o percurso dos diferentes países tem sido muito semelhante, os problemas e preocupações dos professores são essencialmente os mesmos, tal como os recursos utilizados. A título de exemplo havia projectos que salientavam a utilização de quadros interactivos, plataformas de e-learning, criação de sites, dinamização de blogues, construção de e-books, elaboração de vídeos entre outros. As TIC eram utilizadas como um recurso, um meio para a concretização dos projectos, que ajudando o professor a envolver e motivar os alunos, promovendo a interação.

Os projectos foram apresentados em forma de VCT (Virtual Classroom Tours) incluíam guiões para o professor e recursos orientadores para os alunos, propostas e desafios de intervenção, resultados obtidos e avaliação do projecto.

Os projectos eram de áreas disciplinares muito diversificadas, a título de exemplo posso referir alguns dos temas desenvolvidos como “Aprender ciências blogando”; Experiências com sementes em que os alunos observavam a temperatura e humidade através do Computador; Gostei de ver uma experiência entre Matemática e a Educação Física onde o software mais utilizado era o Geometer Sketchpad em que os problemas se baseavam nas áreas dos campos de jogos e os gráficos, representavam o percurso da bola; Na área das línguas agradou-me a construção de e-books, disponibilizados aos alunos em formato digital, rentabilizando o Mp3 que os alunos tanto gostam em sala de aula; Construção de pequenos robots com legos que ajudavam os alunos a aprender as danças Irlandesas, muitos mais poderia salientar.

Participar nesta Conferência de nível europeu organizada pela Microsoft foi uma experiência única e uma oportunidade extraordinária para conhecer um grupo de professores empreendedores e as mais recentes práticas de integração das tecnologias no ensino.